Capa  Notícias leia mais Governo federal reforça operações da Força Nacional na Amazônia

Governo federal reforça operações da Força Nacional na Amazônia

 O número de homens da Força Nacional que atuam no combate ao desmatamento da Floresta Amazônica crescerá em 40%. Assinado nesta quarta-feira (11/03), o projeto do Fundo Amazônia destinará R$ 30,6 milhões para garantir a permanência do efetivo e executar ações de fiscalização e controle nos nove estados que possuem o bioma.

A medida, assinada pelo Ministério da Justiça e o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), faz parte da carteira de projetos aprovados pelo Fundo Amazônia. Com essa assinatura, o Fundo atinge a marca de 72 projetos destinados a manter a floresta em pé.

O incremento nas equipes de fiscalização intensificará o combate ao desmatamento e a outras ilegalidades na Amazônia. O total de homens envolvidos na ação não foi divulgado, por questões de segurança. “Quem estiver cometendo crime ambiental pode esperar porque será capturado”, avisou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. “Todo o aparato de fiscalização do governo está em campo.”

BASES

De acordo com a ministra, o efetivo da Força Nacional atuará em conjunto com as equipes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na Floresta Amazônica. Além disso, o projeto permitirá a constituição de novas bases de fiscalização em caráter permanente na região.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que projeto permitirá a aquisição de novos aparelhos como embarcações e equipamentos próprios para uso dentro da Floresta, além de custear operações. “Haverá mais condições para continuarmos desempenhando uma tarefa que já vem sendo bem feita e, a partir de agora, será melhor executada”, avaliou.

SAIBA MAIS

A criação e o aparelhamento da Companhia de Operações Ambientais com o efetivo da Força Nacional são atividades previstas na terceira fase do Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm). O PPCDAm é um esforço governamental voltado para a transição do atual modelo de crescimento e em benefício dos recursos naturais e dos 25 milhões de habitantes da região.

Iniciado em 2004, o PPCDAm fomentou a elaboração de políticas públicas que respondessem aos desafios de reduzir o desmatamento na Amazônia. Até agora, o Plano conseguiu alçar a questão da redução do desmatamento a importante orientador das políticas públicas, sejam elas ambientais, agrícolas, sociais, econômicas ou industriais. O resultado pode ser medido pela redução expressiva do desmatamento alcançado nos últimos 10 anos, sendo este o seu principal indicador.

Já o Decreto nº 7.957, de 12 de março de 2013, institui o Gabinete Permanente de Gestão Integrada para a Proteção do Meio Ambiente (GGI). Composto por órgãos como MMA, MJ e Ministério da Defesa, o gabinete atua na identificação de áreas e situações que demandem o emprego das Forças Armadas. As equipes têm o objetivo de apoiar atividades de conservação e policiamento ambiental para coibir crimes e infrações e de executar tarefas de defesa civil em favor do meio ambiente.

 

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA) – 2028.1173

mais notícias ++++

Novo primata é descoberto na região da Amazônia brasileira

 Conhecido como zogue-zogue, e apelidado de rabo de fogo, o primata da espécieCallicebus miltoni é a mais nova descoberta feita na região da Amazônia brasileira e publicada na revista científica "Papéis Avulsos de Zoologia", do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo ... Leia mais

Lixão de Cacoal, RO, continua sendo depósito de entulho e lixo doméstico

 Apesar do Ministério Público de Rondônia (MP-RO) ter recomendado à Prefeitura de Cacoal (RO) a desativação do antigo lixão, localizado na RO-383, o local continua recebendo entulhos e até mesmo lixo doméstico despejados por moradores. Os resíduos ... Leia mais

Associação Patjamaaj, do povo Cinta Larga, também repudia declarações do CIMI

A Patjamaaj, representante legal do povo Cinta Larga, vem por meio desta nota de esclarecimento apresentar que a matéria publicada pelo CIMI através do jornal“O Porantim” e no site do CIMI – “Lideranças Suruí afirmam ao presidente da FUNAI que não querem ... Leia mais

< anteriorpróximo >

Carregando ...

[<<]

[>>]

[X]